Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida de Desempregada

Um blogue de lifestyle para todos os orçamentos!

10 artistas a não perder no festival Paredes de Coura

Mark Lanegan

 

Falta uma semana para começar o meu festival de verão favorito independentemente do cartaz e das condições meteorológicas, por isso hoje partilho convosco os dez artistas que eu não quero perder no Paredes de Coura 2015, mas antes conto-vos a minha história com este festival. 

 

A minha relação com o festival de Paredes de Coura começou em 2002 quando a minha prima Carla, que tem mais dez anos que eu, me contou como tinha sido a sua experiência por lá. Na altura tinha 15 anos, era doida por música (ainda sou) e só queria sair da minha terrinha para ir ver os artistas sobre os quais lia na Blitz e na Rock Sound. Depois em 2003, os meus pais colocaram Cabovisão em casa e nesse ano assisti às transmissões de todos os festivais de verão pela Sic Radical, mas o que mais me despertou curiosidade foi mesmo o de Paredes de Coura.

 

Já em 2006, enquanto estudava em Coimbra os meus colegas do liceu falaram-me em ir a Paredes de Coura e pareceu-me ouro sobre azul, pois finalmente tinha companhia para lá ir, o problema é que não tinha dinheiro nem para o bilhete nem para a viagem, mas como eu sou uma rapariga desenrascada tratei de ir à internet procurar concursos e depois de muito concorrer lá consegui ganhar um bilhete geral graças a uma foto que o meu pai me tirou (mal ele sabia no que se estava a meter eheheh).

 

Ora, bilhete já tinha, mas faltava-me dinheiro para a viagem e assim decidi juntar uma série de "tralhas" que já não me faziam falta e fui vender para uma feira de coisas em segunda mão e a verdade é que consegui juntar todo o dinheiro que precisava. 

 

O problema foi que à última da hora, as raparigas do meu grupo "cortaram-se", mas eu pensei "que se lixe, agora vou na mesma" e assim fiz, apanhei o bus para Coimbra, depois um comboio regional para o Porto, mais outro regional para Valência e um autocarro para Paredes de Coura. Basicamente demorei um dia inteiro para chegar lá, mas valeu a pena, pois quando vislumbrei aquele anfiteatro natural senti-me em casa. Era aquilo que eu tinha sonhado e muito mais. Confesso, que até hoje foi o melhor Paredes de Coura a que fui, não pelo cartaz (apesar de ter sido um dos melhores, é impossível esquecer aquele concerto do Morrissey), mas pelas peripécias que vivi, como ficar sem tenda, a minha roupa ficar toda molhada e eu ter de me secar ao pé de uma conduta de ar condicionado, ter um ataque de formigas no cacifo ou perder todas as fotos que tinha tirado porque o meu cartão de memória encharcou devido à chuva intensa que se fez sentir. Sim, não foi pêra doce, mas voltei e vou continuar a ir até não conseguir mais e mesmo nas edições em que não fui, 2012 e 2014, porque estava a estagiar, o meu coração esteve lá, por isso este ano, mesmo desempregada volto para pelo menos por uns dias ser feliz.  

 

Assim, espero que os TV On The Radio, o Mark Lanegan e a Lykke Li me dêem grandes concertos aos quais já me habituaram e que o Charles Bradley, a Natalie Prass, o Father John Misty e os Tame Impala (que eu agora já gosto) me surpreendam pela positiva.

 

Tal como nos festivais anteriores vou postar fotos no Facebook e no Instagram do blogue, mas no final vão poder ver a reportagem fotográfica completa no site do Festivais de Verão.

 

Vemo-nos em Paredes de Coura?

 

TV On The Radio

 

 Tame Impala

 

 Lykke Li

 

Blood Red Shoes

 

 Natalie Prass

 

 Temples

 

 The War On Drugs

 

 Charles Bradley

 

 Father John Misty

Graziela

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

1 comentário

Comentar post