Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida de Desempregada

Um blogue de lifestyle para todos os orçamentos!

Receitas rápidas: Courgettes recheadas com Alheira de vitela

 Fotos: Graziela Costa

 

Com o fim de semana quase a chegar, partilho convosco mais uma aventura na cozinha. Desta vez, decidi recriar uma receita do chef Hélio Loureiro, mas claro que alterei um pouco a receita e por isso, deixo-vos também o link para a receita original.

 

Ingredientes

1 Courgette grande

Azeite (usei São Mamede)

1/2 Cebola

1 Alheira de Vitela (usei Minho Fumeiro)

1 Oregãos (usei Aromáticas Vivas)

Flôr de sal (usei Rui Simeão - Tavira Sal)

Pimenta preta

Queijo flamengo seco

 

Preparação

1. Corte as courgettes, no sentido da largura, em cilindros de 3 centímetros e retire o interior com ajuda de uma colher. 

2. Entretanto, leve ao lume o azeite e a cebola picada, deixe alourar. Tempere com sal e pimenta a gosto.

3. De seguida acrescente o recheio da Alheira de vitela e envolva tudo muito bem.
4. Adicione os orégãos e deixe cozinhar por mais 3 minutos.
5. Recheie os cilindros de courgettes com o preparado à base de Alheira de vitela, salpique com queijo ralado e leve ao forno, à temperatura de 150ºc, durante 15 minutos.

 

Pode ser servido como entrada ou como prato principal, por exemplo acompanhado com arroz branco.

 

Arroz branco

1. Parta uma cebola em cubos e leve a refogar num fio de azeite.

2. Acrescente 1 copo de arroz, mexa e deite os dois copos de água.

3. Tempere com sal e deixe cozinhar em lume brando.

 

Já agora, o recheio da courgette podem aproveitar para sopa ou mesmo puré. 

  

 

A região do Minho é conhecida pela sua gastronomia e claro, pelos seus enchidos. Nesta receita utilizei uma alheira de vitela dessa região e foi interessante, pois até hoje só tinha provado alheira de galinha e de bacalhau, mas fiquei fã. 

 

Esta alheira é da Minho Fumeiro, uma empresa de Ponte de Lima (já agora, esta é uma cidade que merece uma visita. Há uns anos fui lá com os meus pais e adorei, é um local mesmo bonito!), que se rege segundo moldes muito tradicionais, por exemplo no Mercado Gourmet fiquei a saber que eles não usam máquinas industriais para cortar enchidos como a barriga fumada (bacon, o termo mais comum), usam mesmo facas, daí os cortes não serem extremamente certinhos.

 

Estes produtos estão à venda na maioria das grandes superfícies, mas também podem ser encontrados em mercados, etc.

 

 

Nesta receita usei também o Azeite São Mamede, um azeite proveniente dos olivais em redor da Serra de São Mamede, situada no Alto Alentejo (zona de Portalegre).

 

O São Mamede tem um sabor muito parecido com o azeite caseiro, devido ao facto de ser feito com azeitonas da variedade galega e ser obtido pelo sistema contínuo, a baixa temperatura (entre os 27º e 31º.)

 

É um excelente azeite para utilizar em temperos, saladas e frituras.

 

Já agora, este é um azeite da Coopor – Cooperativa Agrícola do Concelho de Portalegre, uma cooperativa sem fins lucrativos que visa essencialmente preservar, dinamizar e potenciar o olival tradicional existente em toda a zona envolvente do Parque Natural da Serra de São Mamede.

 

 

 

 

 

 

 

Graziela

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

2 comentários

Comentar post