Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de Desempregada

Um blogue de lifestyle para todos os orçamentos!

O meu amigo partiu

_SAM3697aa.png

Não conheço o inicio da história do Rex, nem sei se esse era o seu nome verdadeiro, mas sei que este cão mudou a vida da minha família. O meu amigo partiu no dia 23 de julho, mas só agora me sinto capaz de escrever este post. Escrevo-o para lhe prestar homenagem e para alertar os meus leitores e a quem este post possa chegar que quando se adopta um animal é para toda a vida. 

 

É difícil recordar-me ao certo em que dia é que o Rex apareceu à porta da nossa casa, mas lembro-me que ele apareceu lá por causa da Fofinha, a nossa cadela "emprestada" (tecnicamente ela é do meu vizinho, mas como passa os dias em nossa casa é considerada membro da família) e durante os últimos 7/8 anos assistimos à sua história de amor. Ele era enorme e ela pequenita, mas mesmo assim eram inseparáveis e às vezes até pareciam conversar. 

 

Inicialmente, o meu pai não achou muita piada ao facto de ter um pastor alemão a rondar a casa, já que quem olhasse para ele podia pensar que era um animal perigoso, mas pelo contrário era super meigo e às vezes até acompanhava os miúdos da escola nas visitas pelo bairro. Como não sabíamos o seu nome começámos a chamar-lhe Rex e a verdade é que ele respondia e assim ficou.

 

Os anos foram passando e o Rex ganhou uma "casota improvisada" à porta da nossa casa, na qual ele fazia questão de dormir mesmo quando o tentávamos pôr na garagem por causa do frio. Ganhou também uma coleira e desse dia eu nunca me vou esquecer porque ele não estranhou quando lha coloquei, pelo contrário até parecia sentir-se importante, como se fosse finalmente "nosso". 

 

Uma das coisas que o Rex mais gostava além de comer, sim ele comia bastante, era que lhe fizessem festas e quando alguém nos ia visitar ele fazia questão de se mostrar. Lembro-me também das corridas que ele dava atrás dos gatos e das vezes que ele saltava os muros para ir atrás dos cães dos pastores, mas a melhor memória que guardo era a de quando chegávamos a casa e ele estava à nossa espera a abanar a cauda feliz por nos ver.  

 

À medida que os anos foram passando todos nós ficámos mais velhos e o Rex não foi excepção. Começou a ver mal, a ter problemas de locomoção, mas todos os dias cuidávamos dele e lhe dávamos os medicamentos necessários. Infelizmente, nos últimos meses o seu estado de saúde degradou-se muito e os meus pais já me andavam a preparar para o pior, mas eu não conseguia aceitar. Até que, no dia 22 de julho a minha mãe me ligou a dizer que o meu pai tinha encontrado o Rex com convulsões e o tinha levado para o centro veterinário. Durante as horas que se seguiram não consegui concentrar-me no trabalho, pois não conseguia pensar em mais nada a não ser no meu amigo e no medo de o perder.

 

Depois falei com a minha mãe e com o meu pai e a verdade é que há muito tempo que não o via assim tão desanimado, ou seja era possível que o Rex não sobrevivesse. Ainda assim, os veterinários tentaram tudo para o ajudar e nessa noite ele ficou lá internado. No dia seguinte, pela manhã ele faleceu, mas pelo menos teve toda assistência possível e um funeral digno.

 

Em suma: o Rex pode não ter tido um inicio de vida fácil, pois foi abandonado, não sei se porque a pessoa que o abandonou queria ir de férias sem encargos ou se não gostou que ele ficasse "tão grande", mas pelo menos nos últimos 7/8 anos ele teve uma família que o amou e que não o trocava por nada deste mundo. Acima de tudo teve o lar que ele tanto merecia e nós um amigo para a vida. Com isto, apenas vos digo: um animal é um amigo para a vida, por isso tratem-no bem!

 

PS: Esta foi a última fotografia que tirei ao Rex, na verdade não tenho muitas porque ele tinha medo de máquinas fotográficas, mas como podem ver ele era lindo. 

Graziela

Cheque Veterinário ajuda animais de famílias carenciadas

 Foto: Graziela Costa

 

Durante mais de dois anos pedi um cão. Pedi aos meus pais, pedi ao meu namorado, pedi a toda a gente... mas, quem estiver a ler este post vai pensar: "Então porque não foste a um canil e adoptaste um?". Bem, eu tinha muito amor para dar ao cão, mas também pensava: "Não tenho muito dinheiro para o veterinário, alimentação e outros custos.", havia muitos prós e contras, mas achava que se me aparecessem com o cão em casa todas as minhas dúvidas se iriam dissipar e, a verdade, é que assim foi.

 

Na véspera de Natal, quando a minha mãe me telefonou a perguntar se ainda queria ter um cão, os meus olhos brilharam, o meu sorriso ficou enorme e o meu coração bateu forte, e ainda que estivéssemos a 300km, de distância a minha mãe sentiu isso e não resistiu a dizer-me que tinha uma cadelinha à minha espera.

 

Os dias pareceram enormes até chegar o dia 23 de Dezembro e, mal saí do comboio, o meu pai disse-me que a Júlia, a minha cadela, estava no carro à minha espera e eu corri o mais rápido que pude.

 

Quando abri a porta, vi aqueles olhos pretos enormes a olhar para mim com uma ternura tão grande, que me deram a certeza que faltava: a Júlia foi uma das melhores coisas que me aconteceu nos últimos anos.

 

Com o passar dos dias, começaram a surgir os "dramas": a Júlia não dormia, só chorava e eu não sabia se ela tinha fome ou frio ou se estava doente. Entretanto, tive de regressar a Lisboa e a Júlia como ainda era muito pequena ficou mais duas semanas em casa dos meus pais. No dia em que voltei para a ir buscar já estava muito mais crescida e independente.

 

Com o crescimento chegaram mais despesas, a Júlia precisou de uma cama, coleira, trela, ração e mais recentemente começou a levar as vacinas. As idas ao veterinário não são assim tão baratas e muitas vezes as pessoas deixam de levar os animais por causa disso. Há até quem os abandone e, para combater isso, a Ordem dos Médicos Veterinários vai lançar um "Cheque Veterinário", com o intuito de ajudar famílias carenciadas de todo o País a tratar os seus animais de estimação. O projecto-piloto inicia-se no final deste mês em quatro freguesias de Lisboa.


O cheque veterinário vai funcionar da mesma forma que o cheque dentista. Só que, o cheque dentista é comparticipado pelo Estado, enquanto que o cheque veterinário tem o apoio da Ordem e dos Médicos Veterinários e de outras instituições.

As famílias vão ser seleccionadas pelas  juntas de freguesia e a Santa Casa da Misericórdia, sendo que nesta primeira fase, o programa estima abranger um total de "pelo menos duas mil intervenções". Para usufruirem desta iniciativa informem-se na vossa junta de freguesia.

Graziela

Fazer à mão às vezes ainda fica mais barato - Roupa para animais

 

Recentemente, ofereceram-me uma cadelinha, a Júlia, mas como ela é muito pequena está quase sempre com frio. Por isso, fomos obrigados a procurar roupinhas para ela, no entanto fui a várias lojas dos chineses e afins, mas eram todas muito grandes.

 

Finalmente, decidi procurar em lojas de animais, mas por uma simples camisola minúscula pediam-me 16 euros (caríssimo!). Assim, com alguns restos de lã e paciência, a minha mãe fez uma camisola e uma manta para a Júlia.

 

 

 

Logo, acredito que fazer à mão certos produtos ainda consegue ser mais barato que comprar, para além disso são peças únicas e feitas com carinho.

 

Para quem quer aprender ou conhecer alguns modelos de coisas que podem fazer em croché, entrem neste site ou consultem o Pinterest. Vão ver que vão ficar viciados, eu pelo menos não dispenso as minhas botinhas de lã para dormir.

 

E vocês, o que acham? Já fizeram algo à mão?

 

Para consultarem ofertas para animais de estimação consultem este post. 

Graziela

Ofertas para animais

 

POST ACTUALIZADO A 02/12/2014

 

 

Tenho o prazer de apresentar-vos a Júlia, o meu presente de Natal e que promete roer todos os sapatos cá de casa. Chama-se Júlia porque na altura em que fiquei desempregada estava sempre a pedir uma companhia e acabava por ficar em frente à tv a ver a "Querida Júlia", sempre me entretinha. Este ano um amigo dos meus pais trouxe-me esta pequena pestinha, que é bastante refilona e adora comer. É muito determinada e rapidamente aprendeu montes de coisas novas. 

 

Como muitos de vós têm animais decidi fazer um post sobre o assunto, falando de alguns sites que oferecem coisinhas aos vossos bichinhos.

 

Clube Eukanuba 

 

Antigamente pelo registo ofereciam um vale para uma saca de ração de cachorro.

 

Clube Gostar & Cuidar

 

Ao registarem-se neste clube recebem um cartão onde podem acumular pontos e trocar por brindes para os vossos animais. Um livro do cão / gato, um bolsa para documentos e um porta chaves. Regularmente também dão amostras de comida e vales de desconto.

 

 

Clube Pedigree

 

Amostra de Dentastix + Vales de 1 euro

 

 

Para além de regularmente receberem vales de desconto. Ao registarem-se no site da Purina estão a doar uma refeição a um animal abandonado.

 

Clube Whiskas

 

Amostra grátis

 

Jumbo-Pet-Club.jpg

 

Recentemente, o Jumbo criou o seu Pet Club, isto é um site que funciona como uma rede social onde os donos podem conseguir conselhos e vantagens grátis para os seus animais. Vantagens como:descontos em diversas entidades, informações, notícias, conselhos, curiosidades e passatempos onde os vossos animais podem participar. Podem inscrever-se gratuitamente aqui.

  

Existem também outras marcas às quais podem pedir amostras através do apoio ao cliente (consultem os endereços de email nos respectivos sites).

 

Para conhecerem outras dicas de poupança consultem este post.

Graziela

Este fim de semana...

Mais informações aqui.

 

 

PS: Aqui fica uma dica solidária...

 

Até 11/10, por cada novo fã na sua página de Facebook, o Lidl doará 50 g de ração de cão para a SOSAnimal - Grupo de Socorro Animal de Portugal conseguir alimentar muitos patudos!


Saibam tudo em http://tinyurl.com/pbddo8q e partilhem esta iniciativa com os vossos amigos e família!

 

Graziela

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.