Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de Desempregada

Um blogue de lifestyle para todos os orçamentos!

Cinema de hoje: Mas que família é esta?!

19814079_VTt2j.jpeg

É engraçado como mudamos à medida que crescemos, pois se há 10 anos atrás me dissessem que ia gostar de cinema francês eu dizia: "estão doidos!". A verdade é que cresci e quando fui para a faculdade tive a oportunidade de descobrir imensos realizadores e filmes que que fizeram cair por terra o meu preconceito em relação ao cinema francês. Aliás, desde que vim para Lisboa vou regularmente ver filmes franceses e até vou à "Festa do Cinema Francês". Assim, quando ganhei o convite da Youzz para ir ver o filme "Mas que família é esta?!" soube logo que de alguma forma me ia divertir muito. Até porque esta história podia ser vivida em qualquer parte do mundo.

 

"Mas que família é esta?!" conta a história de sete miúdos unidos por diversos laços familiares (primos, meios-irmãos e irmãos), que fartos de estar sempre a trocar de casa decidem arranjar um "lar" só para eles de forma a mostrar aos adultos que estão fartos de toda aquela confusão. E confusões à parte este filme mostra-nos que com camaradagem e boa vontade filhos de pais separados podem ter uma vida muito mais facilitada (não me vou alongar muito sobre este assunto, porque não tenho experiência sobre a matéria). Por isso, se ainda não sabem o que vão fazer este fim de semana aconselho-vos uma ida ao cinema e para se entusiasmarem mais ainda deixo-vos o trailler do filme.

 

Graziela

Cinema de hoje: A Vida Secreta dos Nossos Bichos

328111_pt.jpg

Desde miúda que adoro ir ao cinema, aliás quando fui para a faculdade a minha ideia era ser realizadora de cinema, mas depois cheguei à conclusão que teria de depender de uma equipa e eu gosto de fazer as coisas sozinha, por isso a fotografia pareceu-me uma opção mais simples. Claro que, o bichinho do cinema ficou e entre ver um filme na televisão e no cinema, o cinema ganha sempre. Assim, sempre que junto uns trocos lá vou eu ver as novidades.

 

Hoje escrevo-vos sobre um dos últimos filmes que vi e pelo qual ansiava desde o verão passado: "A Vida Secreta dos Nossos Bichos". Um filme que nos "mostra" o que os nossos animais de estimação fazem quando não estamos em casa (no entanto, acho que a minha cadela, não tantas aventuras quando eu estou fora).

 

Em "A Vida Secreta dos Nossos Bichos" acompanhamos a história de Max, um cão super feliz, cuja dona é o centro do seu mundo. O problema é quando surge Duke, um cão resgatado de um canil que procura ganhar a sua posição na "família" de Max. Essa "luta" em que ambos se metem acaba por levá-los para uma série de "alhadas" onde só a sua cooperação e os seus melhores amigos os poderão salvar.

 

Pessoalmente, adorei o filme, pois tem uma história bem engraçada e um final que nos faz acreditar que a verdadeira amizade e as segundas oportunidades existem. Para além disso, "A Vida Secreta dos Nossos Bichos" tem uma animação super bem construida (desenhos, cenários, etc) e uma banda sonora bastante agradável. Assim, se ainda não têm planos para o próximo fim de semana aconselho-vos a irem ver este filme, até porque ele é bom para toda a família.

 

 Agora, deixo-vos o trailler do filme.

Graziela

O meu amigo partiu

_SAM3697aa.png

Não conheço o inicio da história do Rex, nem sei se esse era o seu nome verdadeiro, mas sei que este cão mudou a vida da minha família. O meu amigo partiu no dia 23 de julho, mas só agora me sinto capaz de escrever este post. Escrevo-o para lhe prestar homenagem e para alertar os meus leitores e a quem este post possa chegar que quando se adopta um animal é para toda a vida. 

 

É difícil recordar-me ao certo em que dia é que o Rex apareceu à porta da nossa casa, mas lembro-me que ele apareceu lá por causa da Fofinha, a nossa cadela "emprestada" (tecnicamente ela é do meu vizinho, mas como passa os dias em nossa casa é considerada membro da família) e durante os últimos 7/8 anos assistimos à sua história de amor. Ele era enorme e ela pequenita, mas mesmo assim eram inseparáveis e às vezes até pareciam conversar. 

 

Inicialmente, o meu pai não achou muita piada ao facto de ter um pastor alemão a rondar a casa, já que quem olhasse para ele podia pensar que era um animal perigoso, mas pelo contrário era super meigo e às vezes até acompanhava os miúdos da escola nas visitas pelo bairro. Como não sabíamos o seu nome começámos a chamar-lhe Rex e a verdade é que ele respondia e assim ficou.

 

Os anos foram passando e o Rex ganhou uma "casota improvisada" à porta da nossa casa, na qual ele fazia questão de dormir mesmo quando o tentávamos pôr na garagem por causa do frio. Ganhou também uma coleira e desse dia eu nunca me vou esquecer porque ele não estranhou quando lha coloquei, pelo contrário até parecia sentir-se importante, como se fosse finalmente "nosso". 

 

Uma das coisas que o Rex mais gostava além de comer, sim ele comia bastante, era que lhe fizessem festas e quando alguém nos ia visitar ele fazia questão de se mostrar. Lembro-me também das corridas que ele dava atrás dos gatos e das vezes que ele saltava os muros para ir atrás dos cães dos pastores, mas a melhor memória que guardo era a de quando chegávamos a casa e ele estava à nossa espera a abanar a cauda feliz por nos ver.  

 

À medida que os anos foram passando todos nós ficámos mais velhos e o Rex não foi excepção. Começou a ver mal, a ter problemas de locomoção, mas todos os dias cuidávamos dele e lhe dávamos os medicamentos necessários. Infelizmente, nos últimos meses o seu estado de saúde degradou-se muito e os meus pais já me andavam a preparar para o pior, mas eu não conseguia aceitar. Até que, no dia 22 de julho a minha mãe me ligou a dizer que o meu pai tinha encontrado o Rex com convulsões e o tinha levado para o centro veterinário. Durante as horas que se seguiram não consegui concentrar-me no trabalho, pois não conseguia pensar em mais nada a não ser no meu amigo e no medo de o perder.

 

Depois falei com a minha mãe e com o meu pai e a verdade é que há muito tempo que não o via assim tão desanimado, ou seja era possível que o Rex não sobrevivesse. Ainda assim, os veterinários tentaram tudo para o ajudar e nessa noite ele ficou lá internado. No dia seguinte, pela manhã ele faleceu, mas pelo menos teve toda assistência possível e um funeral digno.

 

Em suma: o Rex pode não ter tido um inicio de vida fácil, pois foi abandonado, não sei se porque a pessoa que o abandonou queria ir de férias sem encargos ou se não gostou que ele ficasse "tão grande", mas pelo menos nos últimos 7/8 anos ele teve uma família que o amou e que não o trocava por nada deste mundo. Acima de tudo teve o lar que ele tanto merecia e nós um amigo para a vida. Com isto, apenas vos digo: um animal é um amigo para a vida, por isso tratem-no bem!

 

PS: Esta foi a última fotografia que tirei ao Rex, na verdade não tenho muitas porque ele tinha medo de máquinas fotográficas, mas como podem ver ele era lindo. 

Graziela

Passatempo Vida de Desempregada / Maped

367652245.jpg

Em Dezembro muitas famílias já têm de renovar alguns materiais escolares das crianças e, por isso, um conjunto de produtos Maped vinha mesmo a calhar, não era? Assim, em parceria com esta marca tenho para oferecer a um(a) leitor(a) do Vida de Desempregada um conjunto de material escolar composto por:

 

1 Esquadro de 45º, 21 cm

1 Conjunto de 2 borrachas Tatoo

1 Apára-Lápis TipTop

1 Tesoura Tatoo Boy or Girly de 13 cm

1 Caixa de 18 Lápis de cor Color'Peps

 

Para que possam divertir-se nestas férias de Natal basta preencherem as entradas do formulário abaixo até dia 17 de Dezembro à meia noite. Atenção, todas as entradas são obrigatórias excepto "Ser seguidor do Twitter". Este passatempo só é válido para residentes em Portugal. Os vencedores serão apurados via random e cada pessoa só pode participar uma vez por dia.

 

Boa sorte e não se esqueçam de concorrer também ao passatempo "Pimensor".

 

 

 

Graziela

Passatempo Lutsine / Vida de Desempregada

lustine.jpg

 

Como eu sei que existem muitas mamãs e papás a ler o Vida de Desempregada, hoje trago-vos um passatempo que vai hidratar toda a família. Assim, em parceria com a Lustine tenho para vos oferecer 30 kits compostos por os seguintes produtos:

 

Lutsine Eryplast Pasta de Água (200g » 16,01€), um produto desenvolvido para acalmar e proteger a delicada pele do lactante e do bebé de possíveis irritações. 

 

Lustine Xeramance Creme Emoliente (200g » 17,49€), um produto desenvolvido para o cuidado hidratante diário das peles muito secas e/ou atópicas do bebé, crianças e adultos. Existem duas versões Xeramance Emulsão Hidratante, com e sem perfume.

 

Para se habilitarem a ganhar um destes 30 kits (no valor de 33,50€ cada) que a Lutsine e o Vida de Desempregada têm para vos oferecer, basta preencherem as entradas do formulário abaixo (atenção, que há entradas obrigatórias e se não as cumprirem serão desclassificados).

 

Este passatempo só é válido para residentes em Portugal e termina a 4 de Novembro à meia noite.

 

Atenção, só será enviado um prémio por pessoa e por morada.

 

Boa sorte!

 

 

a Rafflecopter giveaway

Graziela

Eventos grátis para este fim de semana

 

Actividades para os os mais novos, concertos de bandas portuguesas, workshops e uma maratona para os vossos amigos de quatro patas são algumas das propostas da segunda edição da festa da famíla. Mais informações aqui.

 

 

 

A Iglo promove os seus novos hambúrgueres em diversas praias do país.

 

Paragens Roulotte Iglo

 

Nazaré 24 a 27 de Julho - Av. Manuel Remígio (junto ao porto de abrigo), Nazaré

 

Zambujeira 1 a 10 de Agosto - M 502, estrada Este da Zambujeira do Mar

 

Ericeira 14 a 17 de Agosto - Largo de São Sebastião

 

Atenção, que eles têm também um passatempo a decorrer com prémios para as melhores fotos.

 

 

Visitem o balcão CLARINS no El Corte Inglés e marquem já a vossa aula personalizada de maquilhagem. A aula é gratuita.

Graziela

Cheque Veterinário ajuda animais de famílias carenciadas

 Foto: Graziela Costa

 

Durante mais de dois anos pedi um cão. Pedi aos meus pais, pedi ao meu namorado, pedi a toda a gente... mas, quem estiver a ler este post vai pensar: "Então porque não foste a um canil e adoptaste um?". Bem, eu tinha muito amor para dar ao cão, mas também pensava: "Não tenho muito dinheiro para o veterinário, alimentação e outros custos.", havia muitos prós e contras, mas achava que se me aparecessem com o cão em casa todas as minhas dúvidas se iriam dissipar e, a verdade, é que assim foi.

 

Na véspera de Natal, quando a minha mãe me telefonou a perguntar se ainda queria ter um cão, os meus olhos brilharam, o meu sorriso ficou enorme e o meu coração bateu forte, e ainda que estivéssemos a 300km, de distância a minha mãe sentiu isso e não resistiu a dizer-me que tinha uma cadelinha à minha espera.

 

Os dias pareceram enormes até chegar o dia 23 de Dezembro e, mal saí do comboio, o meu pai disse-me que a Júlia, a minha cadela, estava no carro à minha espera e eu corri o mais rápido que pude.

 

Quando abri a porta, vi aqueles olhos pretos enormes a olhar para mim com uma ternura tão grande, que me deram a certeza que faltava: a Júlia foi uma das melhores coisas que me aconteceu nos últimos anos.

 

Com o passar dos dias, começaram a surgir os "dramas": a Júlia não dormia, só chorava e eu não sabia se ela tinha fome ou frio ou se estava doente. Entretanto, tive de regressar a Lisboa e a Júlia como ainda era muito pequena ficou mais duas semanas em casa dos meus pais. No dia em que voltei para a ir buscar já estava muito mais crescida e independente.

 

Com o crescimento chegaram mais despesas, a Júlia precisou de uma cama, coleira, trela, ração e mais recentemente começou a levar as vacinas. As idas ao veterinário não são assim tão baratas e muitas vezes as pessoas deixam de levar os animais por causa disso. Há até quem os abandone e, para combater isso, a Ordem dos Médicos Veterinários vai lançar um "Cheque Veterinário", com o intuito de ajudar famílias carenciadas de todo o País a tratar os seus animais de estimação. O projecto-piloto inicia-se no final deste mês em quatro freguesias de Lisboa.


O cheque veterinário vai funcionar da mesma forma que o cheque dentista. Só que, o cheque dentista é comparticipado pelo Estado, enquanto que o cheque veterinário tem o apoio da Ordem e dos Médicos Veterinários e de outras instituições.

As famílias vão ser seleccionadas pelas  juntas de freguesia e a Santa Casa da Misericórdia, sendo que nesta primeira fase, o programa estima abranger um total de "pelo menos duas mil intervenções". Para usufruirem desta iniciativa informem-se na vossa junta de freguesia.

Graziela

Moleskine? Eu tenho lá dinheiro para isso...

Foto: Andreia Ferreira

 

Eu sou daquelas pessoas que anda sempre com o bloco e a agenda atrás. Mas, desde que surgiu a moda do Moleskine também fiquei na paranóia de ter um, a verdade é que eles são bastante caros. Por isso, tenho tido os chamados Moleskines arraçados. Recentemente vi que a Família Mimosa oferece um ao registarmo-nos no site e segundo, uma pessoa com quem falei no Facebook, os blocos são lisos e não têm publicidade. Perfeito, já tenho um bloco novo e vocês não querem um?

 

PS: Já não faltava estar a morrer de velhice, o meu pc apanhou um vírus daqueles tramados alguém me recomenda uma loja baratinha que me resolva o problema?

 

Actualização: Já recebi o bloco. =D

Graziela

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.