Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de Desempregada

Um blogue de lifestyle para todos os orçamentos!

Dicas: usar a garantia da marca

_SAM7410-4.JPG

 Fotos: Graziela Costa

 

Há muito que queria ter uma carteira Longchamp, aliás até escrevi sobre isso no blogue, mas o meu orçamento nunca me permitiu. Ainda assim, no verão passado quando estive de férias em casa da minha tia, em Paris vi que "toda a gente" andava com estas carteiras na rua e ela disse-me que também tinha uma, mas nem ligava aquilo. Usava-a para ir às compras e como a alça se estragou foi para a dispensa. Claro que, eu quis ver a dita cuja e como estava tão "vidrada" na carteira ela disse: "olha, se quiseres fica com ela" e foi o que eu quis ouvir, até porque o meu primo faz arranjos rápidos e facilmente deixou a alça como nova. Só não conseguiu foi arranjar os cantinho rotos da mala, mas mesmo assim trouxe-a comigo para Portugal. 

 

Quando voltei ainda a usei várias vezes, mas como os buracos dos cantinhos estava a ficar maiores tive de a voltar a arrumar. No entanto, outro dia quando fui ao El Corte Inglés passear com uma amiga passámos no stand da Longchamp e por acaso comentei com ela que tinha uma Le Pliage, mas não a conseguia usar por causa do problema dos cantinhos. Curiosamente, a empregada ouviu a nossa conversa e disse-me a marca reparava esse defeito gratuitamente desde que fosse uma carteira original. Bem, fiquei tão feliz que no dia a seguir fui logo lá levar a carteira e passadas três semanas voltou impecável. Ou seja, vale sempre a pena ver se os acessórios (carteiras, relógios e malas de viagem) que compramos têm assistência técnica. Até porque muitas vezes nem temos de pagar para arranjo. Por exemplo, a Eastpak é conhecida pela sua garantia de 30 anos e a Guess também costuma arranjar as suas carteiras gratuitamente. 

 

Conclusão: nunca arrumem uma peça sem ver se há solução! 

 

PS: Podem ver outras dicas neste post.

_SAM7406-1.JPG

Ficou como nova!

_SAM7407-2.JPG

O pormenor dos cantos depois de arranjados (ainda que com marcas de uso).

_SAM7408-3.JPG

Graziela

Garantia Jovem, uma medida que pode vir a ajudar na procura de emprego

 

Recentemente, foi criada a Garantia Jovem, uma media que "aparece como resposta à elevada taxa de desemprego dos jovens." Segundo o seu site oficial, a Garantia Jovem pretende ser "um compromisso para que gradualmente e num prazo de 4 meses após o jovem sair do sistema de ensino ou do mercado de trabalho, lhe seja feita uma oferta de emprego, de continuação dos estudos, de formação profissional ou de estágio.

 

A Garantia Jovem não é uma garantia de emprego. Mas tem como objectivo dar aos jovens, o mais rapidamente possível, uma oportunidade para apostar na sua qualificação e estar em contacto com o mercado de trabalho, com vista a combater a inactividade e o desemprego dos jovens."

 

 

Principais objectivos

 

  • Aumentar as qualificações dos jovens
  • Facilitar a transição para o mercado de trabalho
  • Reduzir o desemprego jovem

 

A quem se destina

  • Menores de 30 anos de idade
  • Jovens que não estão a trabalhar
  • Jovens que não estão a estudar, em formação ou em estágio

 

Em Portugal, a Garantia Jovem vai apoiar os jovens até aos 29 anos (inclusive), que não estão nem a trabalhar nem inseridos no sistema educativo e formativo.

 

O que oferece aos jovens

 

De acordo com as preferências e necessidades de cada jovem, a Garantia Jovem oferece várias oportunidades ao nível da participação em medidas de ensino, formação e emprego. Para além disso, oferece aos participantes orientações no sentido de encontrar uma carreira à sua medida.

 

 

Como funciona

 

A Garantia Jovem em Portugal é desenvolvida de acordo com os seguintes princípios orientadores:

  1. Rápida identificação e activação dos jovens
  2. Trabalho em rede por um conjunto alargado de parceiros ao nível local
  3. Oferta de respostas ajustadas às necessidades

 

Para mais informações consulta o site http://www.garantiajovem.pt/ e a legislação de enquadramento da implementação da Garantia Jovem em Portugal - Resolução de Conselho de Ministros n.º 104/2013, de 31 de dezembro."

Graziela

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.