Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de Desempregada

Um blogue de lifestyle para todos os orçamentos!

O bom filho a casa torna: Il Matriciano

Carta_de_Inverno-20.JPG

Fotos: Graziela Costa

 

Uma das coisas que mais gosto de fazer é ir jantar fora, principalmente se bem acompanhada. Aproveitando o facto de recentemente, ter voltado ao Il Matriciano para experimentar a sua carta de inverno lembrei-me, que dado o seu ambiente tradicional e intimista, este restaurante seria perfeito para irem no dia dos namorados.

 

Acolhedor e com uma decoração tipicamente italiana, no Il Matriciano vão sentir-se como num filme de Fellini ou Antonioni, primeiro porque toda a gente fala italiano, segundo porque a música é igualmente italiana e depois há a comida, saborosa e capaz de nos fazer comer um pouco acima daquilo que normalmente estamos habituados, mesmo sabendo que no dia a seguir temos de ir ao ginásio "queimar" as calorias acumuladas.

 

A primeira vez que fui ao Il Matriciano fui com alguns bloggers que ainda não conhecia muito bem, mas depois de vários jantares juntos, desta vez o ambiente ainda foi mais animado.

Carta_de_Inverno-17.JPG

Mini-almôndegas em molho de tomate

Começámos a nossa refeição com umas mini-almôndegas em molho de tomate, que acompanham na perfeição com pão saloio ou caseiro. Depois vieram até nós duas bruchettas bem saborosas, ainda que a minha favorita tenha sido a com queijo stracchino e pancetta.

Carta_de_Inverno-18.JPG

Bruschetta com queijo stracchino e pancetta

Carta_de_Inverno-19.JPG

Bruschetta com cogumelos porcini (saborosa, mas a faltar ali uma pitada de pimenta preta)

Carta_de_Inverno-21.JPG

Raviolis queijo ricotta e espinafres

Seguidamente, passámos às tradicionais massas, todas elas caseiras e feitas no Il Matriciano. Destaque para os raviolis com queijo e pimenta preta à romana, que eram super macios, o Fettucine com tomate e salsicha italiana, que estava mesmo no ponto e o Gnocchi, o melhor que já comi.

Carta_de_Inverno-22.JPG

Gnocchi caseiro

Carta_de_Inverno-23.JPG

Raviolis com queijo e pimenta preta à romana

Carta_de_Inverno-24.JPG

Fettucine com tomate e salsicha italiana

Carta_de_Inverno-25.JPG

Carta_de_Inverno-26.JPG

Por fim sugiro-vos uma sobremesa diferente: gelados em forma de fruta, oriundos de Salerno (em Itália ) e feitos em exclusivo para o Il Matriciano. De notar que, só existem mesmo neste restaurante e são servidos dentro da própria fruta, ou seja é uma experiência única. Estão disponíveis sabores como banana, castanha, amendoim, morango, figo, ameixa e alperce e o meu favorito foi mesmo o de banana, mas o de dióspiro também era bastante interessante. Assim, se quiserem passar uma noite bem romântica façam uma visita a este restaurante e buon appetito.

Graziela

De visita ao Italy Caffe

Italy_Caffe_Pequenas-6.JPG

2004 foi um bom ano para mim, pois foi quando atingi o meu peso ideal, fui pela primeira vez ao Rock In Rio Lisboa e fiz um mini cruzeiro com a minha mãe, a minha prima e os meus padrinhos. Nessa altura tinha apenas 17 anos e nem me preocupava como ia ser o meu futuro, aliás acho que os meus pais também não, pois o negócio corria bem. Hoje em dia quando recordamos essa viagem lembramos-nos dos bons momentos e da fantástica comida italiana, principalmente das pastas.

 

Sendo eu de uma terra pequena, onde só tínhamos um restaurante italiano, aliás uma pizzaria (felizmente, agora já temos um restaurante italiano à séria), o meu conhecimento sobre a gastronomia italiana até vir viver para Lisboa era quase nulo, mas desde então já visitei uns quantos restaurantes. Assim, hoje escrevo-vos sobre o último que visitei, o Italy Caffe. Um restaurante mesmo no centro de Lisboa, mais propriamente no Saldanha, com uma decoração tipicamente italiana, cujas toalhas vermelhas me lembram o Super Mario e os quadros nas paredes me transportam para os filmes do Fellini.

 

Das duas vezes, em que fui ao Italy Caffe encontrei a "casa" quase sempre cheia o que me fez sentir ainda melhor, pois ver os empregados passar com um prato super apetitoso de 5 em 5 minutos até me deu vontade de provar todo o tipo de coisas que eles lá servem, mas não pode ser senão lá se vai a linha.

 

No entanto, quando vamos a um restaurante italiano temos mesmo de nos esquecer que estamos de dieta porque senão não aproveitamos nada, principalmente neste porque tudo é feito a pensar no cliente, por exemplo mal nos sentámos à mesa veio logo um empregado trazer um prosecco a cada um e olhem que era fantástico!

 

Depois, passámos para as entradas: presunto de Parma (que é mais leve e menos salgado que os presuntos portugueses), mozzarella in carozza (lembra-me os cubos de queijo da ilha dos restaurante madeirenses), crostinis, tomate, rúcula, “Burrata” (um mistura de mozarela com natas que é feita no próprio restaurante) e pão de pizza (que basicamente é massa de pizza com azeite, alho e óregãos), todos com com uma apresentação fantástica e um sabor divinal. Da segunda vez que fui a este restaurante provei também Carpaccio di Porcini (cama de rúcula, cogumelos porcini frescos laminados, parmesão em lasca, azeite e crema de vinagre balsâmico), mas as outras entradas, para mim eram mesmo de comer e chorar por mais, a verdade é que só com isso já ficava "almoçada". 

 

Seguidamente fomos para as massas e as escolhas foram: Caserecce Della Nonna, uma massa fresca feita no próprio restaurante, acompanhada por pedacinhos de vitela e perfeitamente envolvida num molho de tomate fresco, que conta também com uma variante com cogumelos porcini; Ravioli de pesto e noci, outra pasta também feita à mão e com um recheio fantástico; Tagliatelle al porcini, massa tagliatelle com cogumelos porcini frescos, parmesão, natas e azeite de trufas, sem dúvida a minha favorita e que de certo vou comer da próxima vez que lá for; Spaghetti con vongole, uma massa cozinhada al dente e com uma apresentação muito atrativa, e finalmente, o ex-líbris da casa, a Pasta Alla Forma, um prato em que a massa al dente é finalizada num enorme queijo mesmo junto às mesas e que só por si já vale a pena uma visita. É que não é todos os dias que um empregado faz uma demonstração de cozinha italiana mesmo à nossa frente. De notar também que este é um prato típico do Norte de Itália e que é servido com cogumelos porcini, presunto de Parma e azeite de trufas brancas, o que se transforma numa combinação bastante forte, por isso se não gostam de sabores muito intensos optem por uma pasta mais simples. 

 

Apesar de não ser muito fã de risottos, da segunda vez que fui ao Italy Caffe estava a decorrer uma semana dedicada ao cogumelo porcini,  por isso acabei por também provar o Risotto Porcini e Burrata (arroz com cogumelos porcini fresco, queijo burrata e azeite de trufas), mas continuo a ser fã número um de pastas.

 

Se depois de comerem um destes fantásticos pratos conseguirem chegar às sobremesas saibam que o melhor ainda está para começar porque cada uma é melhor que a outra. Ora vejam as fotos que vos mostro abaixo e percebam porque é que a Crostatta ai frutti di bosco, a Specialitá dello chef, o Tiramisú, o Semiffredo al torroncino ou os Profiteroles vos vão deixar com água na boca. No entanto, confesso que o meu favorito foi mesmo o Tiramisú, pois vem em taça e é mais cremoso que o típico bolo que nos apresentam na maioria dos restaurantes, ainda assim, tanto a Crostatta ai frutti di bosco, como a Specialitá dello chef estão lá no topo devido ao seu recheio com creme de pasteleiro e frutos do bosque frescos. Destaque também para os profiteroles que ao contrário dos "normais" são recheados com creme de pasteleiro em vez de natas. 

 

Depois disto, só mesmo o ginásio para me salvar, mas acreditem que não me arrependo e não há duas sem três, por isso qualquer dia volto mesmo ao Italy Caffe!

 

PS: Se lá forem experimentem a sangria de frutos do bosque porque é mesmo mesmo boa!

 

Italy_Caffe_Pequenas-7.JPG

Italy_Caffe_Pequenas-3.JPG

A cozinha é aberta e podem ver o que os chefs estão a fazer.

Italy_Caffe_Pequenas-8.JPG

Presunto de parma, mozzarella in carozza, crostinis, tomate, rúcula e “Burrata” (mistura de mozarela com natas)

Italy_Caffe_Pequenas-10.JPG

Pão de pizza

Italy_Caffe_Pequenas-30.JPG

Italy_Caffe_Pequenas-40.JPG 

Carpaccio di Porcini (cama de rúcula, cogumelos porcini fresco laminado, parmesão em lasca, azeite e crema de vinagre balsâmico)

Italy_Caffe_Pequenas-12.JPG

Sangria de frutos vermelhos

Italy_Caffe_Pequenas-13.JPG

Italy_Caffe_Pequenas-14.JPG

Pasta Alla Forma

Italy_Caffe_Pequenas-15.JPG

Italy_Caffe_Pequenas-16.JPG

Italy_Caffe_Pequenas-19.JPG

Caserecce Della Nonna

Italy_Caffe_Pequenas-20.JPG

Ravioli de pesto e noci

Italy_Caffe_Pequenas-22.JPG

Italy_Caffe_Pequenas-24.JPG

Spaghetti con vongole

Italy_Caffe_Pequenas-31.JPG

Italy_Caffe_Pequenas-32.JPG

Risotto Porcini e Burrata (arroz com cogumelos porcini fresco, queijo burrata e azeite de trufas)

Italy_Caffe_Pequenas-33.JPG

Tagliatelle al Porcini (massa tagliatelle com cogumelos porcini fresco, parmesão, natas e azeite de trufas)

Italy_Caffe_Pequenas-26.JPG

Crostatta ai frutti di bosco

Italy_Caffe_Pequenas-27.JPG

Tiramisú

Italy_Caffe_Pequenas-28.JPG

Specialitá dello chef

Italy_Caffe_Pequenas-29.JPG

Italy_Caffe_Pequenas-34.JPG

Profiteroles

Italy_Caffe_Pequenas-35.JPG

Semiffredo al torroncino

Graziela

Be italian - Il Matriciano

_MG_1186-2.JPG

Fotos: Graziela Costa

 

Graziela é um nome tipicamente italiano e o meu deve-se ao facto de a minha mãe enquanto adolescente ter lido um livro, ficando fascinada com a protagonista. É certo que até aos 17 anos odiei o meu nome por ser diferente, mas quando fui para a faculdade percebi que até podia ser uma mais valia, pois ninguém tinha um nome igual. Entretanto, comecei a ver muitos filmes italianos dos anos 50 e 60 e fiquei ainda mais curiosa sobre esta cultura. A partir daí quis visitar Itália e isso já consegui, depois aprender a confeccionar comida italiana, essa parte ainda está em desenvolvimento e finalmente conhecer bons restaurantes italianos. Em Lisboa existem imensos restaurantes que têm comida italiana, o problema é que a maioria deles faz também comida indiana e às vezes até japonesa, ou seja não vamos misturar o que não é misturável. Assim, quando me convidaram para ir juntamente com outros bloggers conhecer o Il Matriciano, obviamente disse que sim, mas antes disso fui fazer uma aula de bodyattack para minimizar os "estragos". Por isso, hoje escrevo-vos sobre a minha experiência.

_MG_1191-3.JPG

_MG_1195-5.JPG

Quando cheguei ao Il Matriciano avisaram-me logo que o staff só falava italiano e eu fiquei logo em pulgas porque isso sim é uma "viagem" a Itália. Depois comecei a ver a decoração e apesar de muito sóbria tinha alguns toques que faziam toda a diferença como por exemplo, uma bandeira ou uma coroa de uma festa religiosa. Foi como se de repente tivesse voltado a Veneza e a Florença onde fui tão feliz...

_MG_1220-8.JPG

_MG_1234-12.JPG

Vinho italiano, claro!

FotorCreated.png

Começámos a nossa jornada com umas belas entradas: beringela parmegiana, um prato que eu já tinha provado antes, mas sem queijo parmesão e assim é muito melhor, uma tábua de enchidos de Parma (fantástica) e coppa, que é uma espécie de "salame", mas da qual eu não fiquei fã.

FotorCreateda.png

Provámos também presunto de Parma com mozzarella de búfala, uma combinação fantástica principalmente se juntarmos um pouco de manjericão e tomate seco. 

_MG_1260-17.JPG

Depois passámos para os pratos principais, sendo que o meu favorito foram estes raviolis recheados com ricotta e trufas (sabe mais ou menos ao mesmo que os cogumelos, mas são mais adocicadas), pois mal o vi na carta fiquei logo com vontade de experimentar, até porque só tinha provado com recheio de ricotta e espinafres, e presunto. 

 

_MG_1274-18.JPG

Seguiu-se um risotto de pêra e nozes com queijo tallegio, que era fantástico e mesmo eu que não costumo gostar de fruta em "comida normal" adorei. Este prato surpreende porque quando damos uma garfada conseguimos saborear a suavidade da perâ e ao mesmo tempo o crocante das nozes. Uma mistura diferente, mas que funciona muito bem.


_MG_1283-19.JPG

Confesso que quando cheguei ao tagliatelle com cogumelos e salsicha abbruzzo já estava cheia, mas provei um bocadinho e gostei muito. Os cogumelos eram bastante "carnudos" e salchinha desfeita dava-lhe um toque mais agradável do que se fosse uma vulgar carne picada.

_MG_1292-20.JPG

Finalmente, massa Allamatriciana, um prato bem picante, que apesar de muito bom foi aquele que eu apreciei menos porque, lá está é mesmo para que gosta de coisas "calientes". 

_MG_1300-21.JPG

Seguidamente passámos para as sobremesas, onde começámos por um tiramisu, que nos tinha sido muito gabado e até foi além das minhas expetativas (era super fofinho), pois o melhor que eu tinha comido até à data tinha sido feito por um colega de casa de uma amiga quando estávamos de erasmus em Espanha. 

_MG_1311-23.JPGTambém adorei o folhado de mascarporne e frutos vermelhos, pois as laminas da massa folhada desfazem-se na boca juntamente com o sumo dos frutos deixando um gostinho fantástico. 

_MG_1193-4.JPG

Já a crostata de Nutella foi a única que me desiluidiu porque apesar do seu bom aspecto e de eu adorar este chocolate, a massa era muito seca, e bem sei que não é uma tarte normal, mas de qualquer forma não ficou entre as minhas favoritas. 

FotorCreatedaa.pngTerminámos com uma escolha segura: panna cotta morango e chocolate, uma sobremesa que tem por base leite e é bastante suave na boca.

 

Em suma, gostei muito desta experiência verdadeiramente italiana e espero voltar, até porque agora já sei quais são os meus pratos favoritos: beringela parmegiana, raviolis recheados com ricotta e trufa e para a sobremesa tiramisu.

 

Já agora, o Il Matriciano tem todos os dias um prato do dia que ronda os 9 / 10 euros, mas aconselho-vos a visitarem este restaurante ao jantar porque o ambiente é muito mais romântico. 

 

Graziela

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.