Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de Desempregada

Um blogue de lifestyle para todos os orçamentos!

El Bulo e uma girls night out

El_Bulo-004340.jpg

Fotos: Graziela Costa captadas com a Canon 5DS

 

Não existe uma fórmula para curar um desgosto de amor, mas boa comida, bebida e amigas fixes ajudam-nos a não estar sempre a pensar no nosso "mais que tudo". Assim, um dia destes fui com a minha amiga Daniela para uma girls night out no El Bulo Social Club. O restaurante do chef Chackall que eu tinha conhecido por altura do seu aniversário.

 

Amplo, cheio de cor e com uma decoração que nos dá vontade de fotografar tudo, o El Bulo tem uma ementa bem variada, mas nós fomos mesmo para a carne porque achámos que seria o "mais Argentino".

 

Para entrada pedimos as tradicionais empanadas de carne porque já as tínhamos provado no aniversário do restaurante e são sempre estaladiças e deliciosas. Camarão ao alho com pão tostado para acompanhar e claro, uns belos cocktails: um mojito (o melhor que já provei, já tinha dito isso quando fui ao aniversário do restaurante) e uma margarita.

 

Como prato principal eu escolhi a picanha de Wagyu (bem passada porque eu gosto asim e desta vez ninguém me recriminou. Já fui a restaurantes em que quase me expulsaram por pedir carne bem passada) e a Daniela, ojo de bife argentino, um dos pratos mais conhecidos do chef Chackall e ambos estavam muito bem confecionados e com acompanhamentos interessantes. Por exemplo, a minha picanha vinha acompanhada por uns palitos de batata doce deliciosos e olhem que eu nem sou fã deste tipo do batatas.

 

Pelo meio ainda experimentámos a bela da sangria de espumante e para o final escolhemos três sobremesas (sim leram bem, foram mesmo três eheh) incríveis para partilhar: a famosa alfajor de dulce de leche (uma bolachinha com recheio de doce de leite), um petit gateaux de doce de leite e gelado de queijo brie président (quentinho e com o recheio a cair no prato é mesmo mesmo delicioso!) e por fim chocotorta (mousse de queijo creme e dulce de leche), sim porque nós somos mesmo fãs deste doce! 

 

No final saí de lá uns quilos a mais, mas posso dizer-vos que me diverti muito (sim, fomos tratadas que nem umas rainhas, obrigada ao staff.) e nem deu para pensar no desgosto de amor. Ahahah

El_Bulo-004331.jpg

El_Bulo-004335.jpg

El_Bulo-004409.jpg

El_Bulo-004407.jpg

El_Bulo-004336.jpg

El_Bulo-004342.jpg

El_Bulo-004330.jpg

El_Bulo-004345.jpg

El_Bulo-004346.jpg

El_Bulo-004355.jpg

Margarita

El_Bulo-004362.jpg

Mojito

El_Bulo-004367.jpg

Empanadas de carne com molho picante a acompanhar

El_Bulo-004368.jpg

Camarão ao alho

El_Bulo-004378.jpg

Ojo de bife argentino

El_Bulo-004383.jpg

El_Bulo-004389.jpg

Picanha de Wagyu

El_Bulo-004393.jpg

El_Bulo-004395.jpg

Sangria de espumante

El_Bulo-004398.jpg

Alfajor de dulce de leche

El_Bulo-004404.jpg

Chocotorta

El_Bulo-004423.jpg

Petit gateaux de doce de leite e gelado de queijo brie président

El_Bulo-004428.jpg

Graziela

Fui experimentar um brunch bio

Foodprintz_Brunch_Vegan-1947.jpg

Fotos: Graziela Costa

 

Confesso que o meu cérebro ainda não regressou destes dias de pausa, por isso hoje aproveito para escrever sobre o brunch bio que fui experimentar com a minha mãe ao Foodprintz. Um espaço bem agradável, perto do Marquês de Pombal, em Lisboa onde podemos fazer aulas de ioga/meditação e comer boas refeições veganas.

 

Apesar de não ser vegan nem vegetariana gosto bastante de soja, tofu, legumes e afins. No entanto, não foi isso que me despertou curiosidade em experimentar um brunch deste género, mas sim o facto de gostar de saber se um brunch bio seria capaz de me fazer sair de lá a "rebolar" como costuma acontecer aos brunchs regulares.

 

Aproveitando um cupão do Lifecooler, por apenas 8,90€ eu e a minha mãe tivemos direito a um menu que incluía 2 cafés, um mexido de tofu, uma tosta de ricota e abacate e uma super yogi smoothie bowl (tudo a para partilhar). Quantidades que à partida até podem parecer pouco para duas pessoas, mas que foi suficiente para sairmos de lá satisfeitas. Eu gostei especialmente da tosta de ricota e abacate, uma combinação que nunca tinha provado e da super yogi smoothie bowl, uma super taça com banana, espinafres, coco e bagas de goji, que se não desse tanto trabalho fazer em casa poderia comer todos os dias ao pequeno almoço.

 

Em suma: o preço é barato, o espaço e os funcionários são agradáveis, mas gostava que o brunch tivesse uma bebida incluída, por exemplo limonada em vez do café. Uma lacuna que me fez pedir à parte um sumo de laranja, cenoura e corcuma. 

Foodprintz_Brunch_Vegan-1955.jpg

Foodprintz_Brunch_Vegan-1956.jpg

Foodprintz_Brunch_Vegan-1957.jpg

Foodprintz_Brunch_Vegan-1959.jpg

Foodprintz_Brunch_Vegan-1960.jpg

Foodprintz_Brunch_Vegan-1944.jpg

Foodprintz_Brunch_Vegan-1948.jpg

Foodprintz_Brunch_Vegan-1949.jpg

Foodprintz_Brunch_Vegan-1953.jpg

Graziela

A Última Ceia do Canal História está de volta

Ultima_Ceia_Canal_Historia-004436.jpg

Fotos: Graziela Costa captadas com a Canon 5DS

 

A Páscoa está quase a chegar e com ela chega também uma nova edição d' "A Última Ceia" do Canal História. Uma iniciativa criada há uns anos atrás, através da qual chefs de renome são desafiados a criar um menu com base nos ingredientes consumidos na última ceia. Este ano o chef escolhido foi o Vítor Sobral e eu estava cheia de expectativas para conhecer as suas propostas, pois há dois anos experimentei o menu criado pelo chef Kiko e adorei (vejam aqui a minha review). Assim, um destes dias eu e mais alguns bloggers aproveitámos a hora de almoço para irmos à Peixaria da Esquina experimentar este novo menu.

 

Começámos a nossa refeição com um couvert composto por azeitonas temperadas com hortelã (não provei porque não gosto de azeitonas verdes), mousse de pistácio com ervas aromáticas (parece uma manteiga e é deliciosa) e pão fermentado (foram-nos servidos três tipos diferentes e o meu favorito foi o de cerveja). Para entrada foi escolhido um atum escabeche com óregãos, redução de vinho e sangue de atum, que estava uma delicia, pois desfazia-se na boca e quando molhado nos dois molhos que o acompanhavam provocada sensações distintas na boca. Seguiu-se o cordeiro assado com feijão (para mim feijocas) e nozes. Uma carne da qual não sou muito fã, mas que estava muito bem apurada o que fazia com que fosse bastante fácil de comer. Como acompanhamento tivemos ainda uma quinoa branca, da qual gostei tanto que até fui comprar um pacotinho para experimentar fazer em casa um dia destes. Por último, a sobremesa: mexidos estilo charroset (pão, vinho, mel e frutos secos) com um sorvete de limão e alecrim. Sem dúvida o que gostei mais deste almoço (adoro mexidos!!!). De notar, que este menu foi harmonizado com vinho de talha alentejano (uma técnica especial sobre a qual podem saber mais aqui) e para quem quiser experimentar esta "Última Ceia" pode fazê-lo até dia 16 de abril na Peixaria da Esquina, é claro.

Ultima_Ceia_Canal_Historia-004469.jpg

A Peixaria da Esquina

Ultima_Ceia_Canal_Historia-004471.jpg

Ultima_Ceia_Canal_Historia-004473.jpg

Ultima_Ceia_Canal_Historia-004441.jpg

O chef Vítor Sobral a explicar esta "Última Ceia"

Ultima_Ceia_Canal_Historia-004435.jpg

Ultima_Ceia_Canal_Historia-004431.jpg

Couvert

Ultima_Ceia_Canal_Historia-004450.jpg

Entrada

Ultima_Ceia_Canal_Historia-004452.jpg

Prato principal

Ultima_Ceia_Canal_Historia-004457.jpg

Ultima_Ceia_Canal_Historia-004468.jpg

Sobremesa

Graziela

Parabéns El Bulo - Social Club!

El_Bulo_Graziela_Costa-003109.jpg

Fotos: Graziela Costa

 

Marvila está cada vez mais na moda e por lá não param de abrir novos espaços ligados à gastronomia. Um deles foi o "El Bulo - Social Club", um restaurante do chef Chakall (vejam aqui o workshop que fiz com ele), que recentemente completou um ano. Aproveitando essa ocasião e a inauguração do novo palco Schweppes (um palco por onde vão passar músicos com ritmos ligados à cultura latina) fui conhecer este espaço e provar algumas das suas iguarias e cocktails, de entre os quais destaco, o Mojito, provavelmente o melhor que bebi até hoje. 

 

Em relação à comida posso dizer-vos que gostei muito das empanadas de carne (uma entrada que já havia experimentado no "Volver", um restaurante onde a carta também era assinada pelo chef Chakall e cuja review podem ver aqui), o duo de bacalhau (lombo de bacalhau no forno com duo de crosta de ervas aromáticas e azeitonas, servido com puré de grão), a picanha e o nikkei (ceviche de atum servido com soja, sementes de sésamo e cebola roxa). Pequenas "amostras" que me deixaram cheia de vontade voltar a este restaurante para experimentar os restantes pratos, mas para já mostro-vos algumas fotos deste espaço bem alegre, cuja decoração está repleta de elementos que nos levam numa viagem pela América Latina.

El_Bulo_Graziela_Costa-003113.jpg

El_Bulo_Graziela_Costa-003114.jpg

El_Bulo_Graziela_Costa-003153.jpg

O chef Chakall

El_Bulo_Graziela_Costa-003096.jpg

El_Bulo_Graziela_Costa-003103.jpg

El_Bulo_Graziela_Costa-003104.jpg

El_Bulo_Graziela_Costa-003122.jpg

El_Bulo_Graziela_Costa-003126.jpg

El_Bulo_Graziela_Costa-003129.jpg

El_Bulo_Graziela_Costa-003131.jpg

El_Bulo_Graziela_Costa-003136.jpg

El_Bulo_Graziela_Costa-003138.jpg

El_Bulo_Graziela_Costa-003146.jpg

El_Bulo_Graziela_Costa-003155.jpg

Graziela

De volta ao Brunch do Páteo de Lisboa

Brunch_Pateo_de_Lisboa-1253.jpg

 Fotos: Graziela Costa

 

O fim de semana está quase à porta, por isso sugiro-vos uma visita ao brunch do Páteo de Lisboa, o meu favorito face aos que experimentei até agora, em Lisboa (aliás, já vos tinha falado dele aqui).

 

Com uma grande variedade de bolos, salgados e frutas frescas (quando vou lá já não como nada o resto do dia, saio sempre a rebolar eheheh), este brunch é bastante acolhedor, por isso se querem passar uma manhã divertida entre amigos têm mesmo de ir experimentar.

 

O brunch acontece no Páteo de Lisboa, todos os sábados entre as 11h e as 16h e tem um preço de 12,50€ por pessoa (às vezes aparecem vouchers), mas acreditem vale a pena cada cêntimo (vejam aqui a ementa). Depois na segunda é que têm de ir ao ginásio queimar as calorias ganhas. Eheheh

 

Uma nota: os vegetarianos também podem ir porque eles também têm uma ementa alternativa, mas o melhor é mesmo contactá-los antes.

Brunch_Pateo_de_Lisboa-1256.jpg

Salgados

Brunch_Pateo_de_Lisboa-1261.jpg

Pães, croissants e salgados

Brunch_Pateo_de_Lisboa-1262.jpg

Bolos

Brunch_Pateo_de_Lisboa-1263.jpg

Doces e manteigas

Brunch_Pateo_de_Lisboa-1264.jpg

Fruta da época e gelatina

Brunch_Pateo_de_Lisboa-1266.jpg

Chocolate quente

Brunch_Pateo_de_Lisboa-1267.jpg

Café delícia 

Graziela

O brunch da Casinha Boutique Café

Brunch_Casinha_Boutique_Cafe_Lisboa-1192.jpg

 Fotos: Graziela Costa

 

Domingo é dia de brunch, por isso hoje escrevo-vos sobre o último brunch que fui experimentar: o da Casinha Boutique Café. Muito conhecido no Porto, este estabelecimento abriu recentemente, no Chiado (Lisboa) e gerou logo algum burburinho por parte das televisões e sites de lifestyle. Curiosa como sou quis logo experimentar e graças a um voucher Odisseias lá fui eu com a minha mãe.

 

Depois de já ter ido a alguns brunchs (podem ver as minhas reviews no Zomato ou aqui no blog), já começo a ter alguns critérios e uma das coisas que gosto é de variedade e no caso da Casinha Boutique Café até tem várias opções, mas em termos de porção acaba por ser bastante menos do que os brunchs a que fui anteriormente. Por exemplo, para duas pessoas tivemos direito a: um croissant brioche, a um scone, ovos mexidos com presunto e pão alentejano regado com fio de azeite e orégãos, uma sanduíche de pão, queijo fresco, tomate fresco, rúcula, orégãos e um fio de azeite, dois iogurtes gregos com framboesa, uma fatia de tarte de maçã, uma fatia de bolo de laranja e gengibre, um café americano e uma limonada com hortelã pimenta. 

 

Em termos de sabor posso dizer-vos que o croissant estava ótimo, a sanduíche e a tarte de maçã também. No entanto, a limonada era extremamente ácida e o scone e o bolo de laranja estava um pouco secos. Ainda assim, o espaço é agradável, por exemplo nós ficámos na esplanada e até tivemos direito a umas mantinhas para ficarmos mais quentinhas. 

 

No fim de contas confesso que esperava mais do Casinha Boutique Café, mas dias não são dias e pode ser que no próxima vez tenhamos mais sorte. 

Brunch_Casinha_Boutique_Cafe_Lisboa-1167.jpg

Brunch_Casinha_Boutique_Cafe_Lisboa-1171.jpg

Brunch_Casinha_Boutique_Cafe_Lisboa-1170.jpg

Brunch_Casinha_Boutique_Cafe_Lisboa-1173.jpg

Brunch_Casinha_Boutique_Cafe_Lisboa-1172.jpg

Brunch_Casinha_Boutique_Cafe_Lisboa-1176.jpg

Brunch_Casinha_Boutique_Cafe_Lisboa-1180.jpg

Brunch_Casinha_Boutique_Cafe_Lisboa-1183.jpg

Brunch_Casinha_Boutique_Cafe_Lisboa-1186.jpg

Brunch_Casinha_Boutique_Cafe_Lisboa-1187.jpg

Brunch_Casinha_Boutique_Cafe_Lisboa-1189.jpg

Brunch_Casinha_Boutique_Cafe_Lisboa-1190.jpg

Graziela

Parabéns Joshua's!

Restaurante_Joshuas-1227.jpg

Fotos: Graziela Costa e Joshua's Shoarma

 

Dizem que os restaurantes de centro comercial não têm "glamour", para algumas pessoas talvez, mas a verdade é que neles vivemos momentos tão importantes como nos ditos restaurantes "tradicionais" e eu já conto com alguns vividos no Joshua's (até tenho cartão de cliente). Aliás, volta não volta vou lá comer um "wrap", mas confesso que até há pouco tempo nunca tinha experimentado os seus diferentes pratos. Entretanto, fui convidada para o almoço de comemoração dos 27 anos desta cadeia de restaurantes e tive a oportunidade de experimentar mais alguns pratos como o novo veggie burguer, o bitoque shoarma, as entradas que são uma perdição. Nomeadamente, a pita d'alho, o fallafel e o hummus (só não provei os kibbis, mas um dia destes de certeza que vou experimentar).

 

Acima de tudo foi uma boa oportunidade para descobrir que o Joshua's tem muito mais do que wraps, pitas e kebabs, pois apresenta propostas para quem é intolerante ao glúten, vegetarianos, sobremesas fantásticas como a baclava, etc. Para além disso, fiquei a saber que por detrás deste projeto está uma família e que todos os seus membros estão envolvidos no "negócio": os pais fundaram o restaurante, o filho é chef, uma das raparigas é nutricionista e responsável pelas ementas dos restaurantes e a outra filha está ligada ao marketing. Sem dúvida uma história de sucesso que nos faz pensar que vale a pena ariscar, por isso só tenho a dizer: parabéns Joshua's

Restaurante_Joshuas-1233.jpg

Bitoque Shoarma

Restaurante_Joshuas-8203.jpg

Veggie burguer no prato

Restaurante_Joshuas-1235.jpg

Algumas das sobremesas disponíveis

Restaurante_Joshuas-8207.jpg

 A baclava, a minha perdição!

20170126_141745.jpg

20170126_142832.jpg

20170126_144926.jpg

IMG_0045tr.jpg

20170126_150029.jpg

 Parabéns Joshua's!

Graziela

O Steak 'n Shake do Porto já abriu!

Steak_N_Shake_Porto-002879.jpg

Fotos: Graziela Costa e Joana Cardoso

 

Depois de abrir lojas no Montijo e em Almada, o Steak 'n Shake abriu o seu primeiro restaurante no Porto. Situado numa localização privilegiada (mesmo no centro da cidade) e com um mural da artista Joana Vasconcelos, o Steak 'n Shake é um daqueles espaços que vocês têm mesmo de visitar. Primeiro porque os hambúrgueres, as batatas fritas e os batidos são ótimos, segundo porque têm combinações únicas e terceiro porque são baratos.

 

Se bem se lembram há uns meses atrás eu fui à abertura deste restaurante no Montijo (podem ver a review aqui) e saí de lá encantada com alguns produtos, por isso quando cheguei ao Porto já sabia o que ia comer. No entanto, decidi experimentar novos produtos, neste caso as batatas fritas com queijo parmesão e ervas aromáticas, que estavam ótimas, o Original Double 'N Cheese (um duplo Steakburger™ grelhado ao momento, com queijo americano, alface, picles, tomate, cebola e ketchup), um pouco do Guacamole (um duplo Steakburger™, guacamole preparado de modo artesanal, alface, tomate, cebola roxa, queijo Pepperjack e maionese chipotle) e um milkshake mini de chocolate e banana. Mais uma vez, produtos que me fizeram crescer água na boca e ansiar pela abertura de um Steak 'n Shake em Lisboa. Até lá consolo-me quando for ao Porto, ao Nos Primavera Sound.

Steak_N_Shake_Porto-002791.jpg

Steak_N_Shake_Porto-002792.jpg

Steak_N_Shake_Porto-002826.jpg

Steak_N_Shake_Porto-002795.jpg

Steak_N_Shake_Porto-002796.jpg

Steak_N_Shake_Porto-002801.jpg

Steak_N_Shake_Porto-002802.jpg

Steak_N_Shake_Porto-002821.jpg

Steak_N_Shake_Porto-002809.jpg

As batatas com queijo Emmental e bacon são incríveís

Steak_N_Shake_Porto-002833.jpg

Steak_N_Shake_Porto-002839.jpg

Três é a conta perfeita!

Steak_N_Shake_Porto-002842.jpg

Steak_N_Shake_Porto-002857.jpg

O milkshake favorito: o Speculoos

Steak_N_Shake_Porto-002875.jpg

Impossível resistir!

Steak_N_Shake_Porto-002798.jpg

Parte do mural da artista Joana VasconcelosSteak_N_Shake_Porto-002803.jpg

O discurso de aberturaSteak_N_Shake_Porto-002813.jpg

A artista Joana Vasconcelos a apresentar o seu muralSteak_N_Shake_Porto-002849.jpg

O nosso grupo

Graziela

Mamma mia: Il Matriciano Al Mare!

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-0967.jpg

 Fotos: Graziela Costa

 

Se há coisa que eu gosto é de comida italiana e se já era fã do Il Matriciano, quando soube que iam abrir o Il Matriciano Al Mare fiquei logo entusiasmada, até porque geralmente, quando como comida italiana são sempre pratos de carne.

 

Aproveitando a visita da minha mãe e com o objetivo de a animar um bocadino levei-a a conhecer o Il Matriciano Al Mare (gémeo do Il Matriciano cujas reviews podem ver aqui e aqui), um restaurante mesmo ao pé da Assembleia da República, em Lisboa.

 

Com uma decoração veraneante que nos transporta para aqueles restaurantes de beira praia, o Il Matriciano Al Mare tem um ambiente super acolhedor, mas o melhor é mesmo a comida.

 

Para começar serviram-nos um folhado de peixe super crocante com um molho de tomate delicioso. Depois degustámos alguns pãezinhos acabados de fazer, neste caso de alecrim, de tinta de choco (parece estranho, mas era bom), entre outros e claro, provámos um prosecco (também fazem isso no Il Matriciano).

 

Como entrada escolhemos uma Bruschetta con gamberi e pomodorini e fonduta di bufala, que estava deliciosa. Principalmente os camarões que estavam mesmo no ponto! Depois provámos dois novos pratos da carta do Il Matriciano Al MareStrozzapreti con vongole e tartufo e Chicche di patate con telline, gamberi, pomodorini e rucola. Duas pastas super deliciosas e com combinações de sabores bastante diferentes. Tão boas que a minha mãe até se emocionou por lhe lembrarem a comida que comeu quando fomos a Itália.

 

Para o final deixámos as sobremesas e que sobremesas! O  tradicional Tiramisú e Mille Foglie Alle Fragole, um folhado com creme de pasteleiro e fruta fresca. Uma combinação doce, mas sem ser enjoativa.

 

Em suma:  fomos tratadas como umas "princesas" e eu estou ansiosa por lá voltar.

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-0973.jpg

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-0976.jpg

Pormenores que fazem a diferença

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-0984.jpg

 A sala interior

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-0977.jpg

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-0987.jpg

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-0991.jpg

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-0997.jpg

Bruschetta con gamberi e pomodorini e fonduta di bufalaRestaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-0999.jpg

As trufas são cortadas no momento

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-1012.jpg

Strozzapreti con vongole e tartufo

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-1003.jpg

Chicche di patate con telline, gamberi, pomodorini e rucola

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-1009.jpg

Nhami!

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-1014.jpg

Tiramisú

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-1018.jpg

 Mille Foglie Alle Fragole

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-1016.jpg

As nossas sobremesas

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-0980.jpg

Detalhes bonitos

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-0982.jpg

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-0983.jpg

Restaurante_Il_Matriciano_Al_Mare-0989.jpg

Graziela

Fomos ouvir fado ao restaurante Coração da Sé

Coracao_da_Se-7206.jpg

Fotos: Graziela Costa captadas com a Canon 6D

 

Para muitos Lisboetas ir a uma Casa de Fados é uma coisa sem interesse, mas para quem é de fora desperta bastante curiosidade. No meu caso, há muitos anos que queria ir a uma, mas nunca tinha companhia e aproveitando o facto de uma amiga do Porto se ter mudado para cá desafiei-a para irmos jantar com um voucher Odisseias.

 

Dei uma vista de olhos pelo site da Odisseias e pelo Zomato, e o restaurante Coração da Sé foi o que me despertou mais interesse. Voucher marcado e lá fomos nós e a surpresa não podia ter sido maior, pois quando lá chegámos, o nosso "cicerone" (que também era fadista) disse-nos que a primeira fadista ia ser a Maria Armanda. Não podíamos ter ficado mais felizes porque para além de muito conhecida, ela deu um belo espetáculo. Depois veio a comidinha e eu escolhi Lombinhos recheados com azeitonas e a Daniela, Bife de novilho à portuguesa com molho de mostarda acompanhado com batata frita (super estaladiças, nhami!). Ambos super apetitosos! Para acompanhar pedimos uma sangria branca que íamos bebericando enquanto ouvíamos o senhor Fernando e a Graça Maria, os outros fadistas "residentes".

 

Para o fim, mousse de chocolate e leite creme, duas sobremesas que caiem sempre bem, principalmente depois de uma noite bem divertida.

 

*Nota: as fotografas estão escuras porque o fado lá é ouvido à luz das velas, por isso ainda que tenha colocado um ISO muito alto era impossível conseguir melhores resultados.

Coracao_da_Se-7203.jpg

 Pão e azeitonas

Coracao_da_Se-7226.jpg

Lombinhos recheados com azeitonas

Coracao_da_Se-7227.jpg

Sangria BrancaCoracao_da_Se-7229.jpg

Bife de novilho à portuguesa com molho de mostarda acompanhado com batata fritaCoracao_da_Se-7236.jpg

Leite creme e mousse

Coracao_da_Se-7210.jpg

A fadista Maria ArmandaCoracao_da_Se-7215.jpg

Coracao_da_Se-7231.jpg

Coracao_da_Se-7238.jpg

A fadista Graça MariaCoracao_da_Se-7244.jpg

Eu e o fadista Fernando Rodrigues (não liguem à minha cara de tótó)Coracao_da_Se-7247.jpg

Nós e a fadista Graça Maria

Graziela

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.