Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de Desempregada

Um blogue de lifestyle para todos os orçamentos!

Ser turista na minha cidade - Parte 44: Museu Nacional da Música

Museu_da_Musica_Lisboa-0167.jpg

Fotos: Graziela Costa

 

Sempre ouvi dizer que debaixo do metropolitano de Lisboa existem grandes "tesouros" e é verdade, pois na estação do Alto dos Moinhos temos um: o Museu Nacional da Música. Um local onde podem conhecer diversos instrumentos musicais, e dos sopros, às cordas passando pelo piano podem encontrar aqui autênticas obras de arte. Eu estive lá um dia destes e fiquei encantada, por isso partilho convosco algumas fotografias da minha visita.

 

Se também quiserem visitar este museu podem fazê-lo de segunda a sábado das 10h às 18h. A entrada custa 3€, mas se forem no primeiro domingo do mês ou apresentarem a declaração do centro de emprego é grátis.

 

PS: Para verem outros "Ser Turista Na Minha Cidade" entrem aqui
Museu_da_Musica_Lisboa-0170.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0172.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0173.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0175.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0180.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0181.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0182.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0183.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0185.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0187.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0190.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0191.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0194.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0196.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0200.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0201.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0204.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0208.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0211.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0212.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0214.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0217.jpg

Museu_da_Musica_Lisboa-0221.jpg

 

Graziela

Ser turista na minha cidade - Parte 40: Fundação José Saramago

Fundacao_Jose_Saramago_Escritor-0133.jpg

Fotos: Graziela Costa

 

Depois de ter feito um "Ser Turista Na Minha Cidade" sobre a Casa dos Bicos, em Lisboa, uma leitora informou-me que mostrando o papel do centro de emprego também se poderia visitar de forma gratuita a Fundação José Saramago, organização que está dentro mesmo edifício. Assim, um destes dias aproveitei para ir conhecer melhor o trabalho do nosso Nobel da literatura, José Saramago

 

Ao longo dos quatro pisos que compõe este edifício, a Fundação Saramago tem uma exposição permanente dedicada à carreira do escritor português, uma loja, com espaço para exposições, um mini auditório onde podemos ver o documentário "José e Pilar" e uma biblioteca com obras deste e de outros autores. Por isso, se quiserem conhecer um poucos sobre a vida e obra deste escritor têm mesmo de visitar esta fundação.

 

Conheçam aqui os seus horários e acessibilidades.

 

PS: Para verem outros "Ser Turista Na Minha Cidade" entrem aqui

Fundacao_Jose_Saramago_Escritor-0135.jpg

Fundacao_Jose_Saramago_Escritor-0138.jpg

Fundacao_Jose_Saramago_Escritor-0141.jpg

Fundacao_Jose_Saramago_Escritor-0143.jpg

Fundacao_Jose_Saramago_Escritor-0145.jpg

Fundacao_Jose_Saramago_Escritor-0146.jpg

Fundacao_Jose_Saramago_Escritor-0148.jpg

Fundacao_Jose_Saramago_Escritor-0153.jpg

Fundacao_Jose_Saramago_Escritor-0155.jpg

Fundacao_Jose_Saramago_Escritor-0157.jpg

Fundacao_Jose_Saramago_Escritor-0160.jpg

Fundacao_Jose_Saramago_Escritor-0163.jpg

Fundacao_Jose_Saramago_Escritor-0164.jpg

Graziela

Ser turista na minha cidade - Parte 19: Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian

Lisboa_Mae_Pequenas-32.JPG

Fotos: Graziela Costa e Maria Almeida

 

Hoje "levo-vos" a passear por um local que eu adoro: o Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian, um paraíso verde mesmo no centro da cidade de Lisboa. Aberto ao público em geral este jardim alberga uma série de espécies de animais e plantas únicas, mas não só pois é um local fantástico para um passeio ou mesmo para um piquenique com amigos. Não podem é ter medo de patos, pois eles estão em todo o lado e sempre à espera de um miminho. Para além disso, podem visitar o Museu Calouste Gulbenkian, o Centro de Arte Moderna e a Biblioteca de Arte (que foi a minha salvação enquanto estava a fazer a minha tese de mestrado). A entrada no jardim é gratuita, mas nas exposições só é grátis aos domingos, para menores de 12 anos, jovens até aos 18 anos quando acompanhados por familiar, membros do ICOM, AICA e APOM, grupos organizados por entidades de solidariedade social e acompanhantes de pessoas com deficiência e com mobilidade condicionada (nos outros dias é 5 euros cada local) . Por isso, um destes domingos vou lá fazer umas fotos e mostro-vos porque vale a pena visitar a Fundação Calouste Gulbenkian

 

Já agora, aqui ficam algumas informações úteis caso queiram visitar estes locais:

 

Horários

Exposições
De quarta a segunda das 10h às 18h

Museu Calouste Gulbenkian: 5€
CAM - Centro de Arte Moderna: 5€

Bibiolteca de Arte

Espaço Multimédia, Sala de Leitura de Reservados e Gabinetes de Investigação:
2ª feira, das 14:00 às 19:00 | 3ª a 6ª feira, das 11:00 às 19:00 | Encerra Sábados, Domingos e Feriados
Os leitores podem efectuar a requisição de obras para consulta até às 18h30m, sendo o fecho da biblioteca anunciado 15 minutos antes.


Horário de Verão
(de 15 de Julho a 15 de Setembro)

Sala de Leitura e Serviço de Referência:
De segunda a sexta-feira, das 9:30 às 17:30
Espaço Multimédia, Sala de Leitura de Reservados e Gabinetes de Investigação:
Segunda-feira, das 14:00 às 17:30 | Terça a sexta-feira, das 9:30 às 17:30

 

Transportes públicos

Metro: S. Sebastião (linhas azul e vermelha)

Autocarros: 716, 718, 726, 742, 746, 756 

 

PS: Podem ver outras visitas da série "Ser turista na minha cidade" aqui.

Lisboa_Mae_Pequenas-33.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-34.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-35.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-37.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-38.JPG

 

_MG_7157a.png

_MG_7246a.png

Lisboa_Mae_Pequenas-39.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-40.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-41.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-42.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-43.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-44.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-45.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-46.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-48.JPG

Graziela

Ser turista na minha cidade - Parte 18: Campo Pequeno

Lisboa_Mae_Pequenas-31.JPG

Fotos: Graziela Costa e Maria Almeida

 

A minha mãe veio passar uns dias comigo a Lisboa e como há muita coisa que ela ainda não conhece aproveitei para lhe ir mostrar alguns locais que ainda não tinha fotografado para o "Ser turista na minha cidade". Um deles é a praça de touros do Campo Pequeno, um edifício extremamente rico a nível arquitectónico e um ex-líbris da nossa cidade. Infelizmente, não fotografei o seu interior porque paga-se 5 euros para visitar o museu e a arena e para duas pessoas seria um pouco caro, pois eu já lá fui assistir a diversos espectáculos e não acho que a riqueza exterior seja comparável com o interior. Ainda assim, o jardim envolvente também é muito agradável e tem algumas esplanadas bastante convidativas.

 

Transportes:

Metro: Campo Pequeno

Autocarro: 736, 783, 738, etc.

 

PS: Podem ver outras visitas da série "Ser turista na minha cidade" aqui.

Lisboa_Mae_Pequenas-22.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-21.JPG

Peq-23.JPG

Peq-24.JPG

Vestido: Romwe | Óculos de sol: Alain Afflelou | Alpargatas: Seaside | Relógio: Daniel Wellington

Peq-25.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-27.JPG

Peq-26.JPG

Mochila: Dresslink

Lisboa_Mae_Pequenas-28.JPG

Lisboa_Mae_Pequenas-30.JPG

Curiosamente, na altura em fomos o Campo Pequeno, o Ikea Portugal estava a dar a conhecer o seu novo catálogo e se tirássemos uma foto dentro da roulotte deles ainda ganhávamos vouchers para refeições grátis (menu almondegas vegetarianas). Vejam aqui o calendário e os locais onde esta ação vai decorrer. 

Lisboa_Mae_Pequenas-29.JPG

PS: Se forem na happy hour (17h30) também têm direito a lanchinho à borla. Aproveitem!

Graziela

Fui de Férias - Parte 3: Amesterdão

Amesterdao_nos-5.JPG

Fotos: Graziela Costa e João Pontes

 

Depois de Paris e da Disneyland chega Amesterdão, a terceira e última parte das minhas férias. Uma cidade que há muito queria conhecer, pois já a tinha visto em filmes, mas na realidade é super diferente. A começar pelo tempo, pois vínhamos do calor francês e de repente chegámos ao "inverno" nórdico. 

 

Como apanhámos o avião de madrugada chegámos a Amesterdão super cansados, por isso mal aterrámos fomos logo fazer check in no hotel e ver o que nos reservam os próximos dias. Depois tratámos de ver que tipo de transportes tínhamos ali à volta e tivemos sorte porque tínhamos autocarro e elétrico mesmo perto do hotel. Assim, demos uma volta pelo bairro, vimos uma feirinha com preços super em conta, na qual eu aproveitei para comprar um lenço para ver se combatia aquele frio e partimos à aventura. 

 

Do "nosso" bairro até ao centro de Amesterdão demorávamos cerca de 40 minutos, pelo que chegámos lá já perto das 17h, ou seja naquele dia já não deu para ver o museu local, por isso acabámos por andar às voltas e vimos imensos canais, o Red Light Distrit, tomámos um café numa cafetaria bem agradável e perto das 22h voltámos para hotel.

 

Nos dias seguintes acordámos sempre ali na onda do meio dia, até porque férias são férias e a nossa ideia era mesmo passear, ver mercados, parques e monumentos. Ou seja, vimos tudo o que era grátis, até porque lá tudo é caríssimo, mas mesmo assim valeu a pena. Tanto, que até fizemos um mini cruzeiro pelos canais de Amesterdão, provámos as famosas waffles com Nutella, queijo holandês, vimos jardins lindíssimos e entrámos numa loja de discos que me fez parecer uma criança numa loja de doces.

 

Em suma: adorei, mas um dia quero voltar para ver o museu Van Gogh, a casa Vermeer, um campo de tulipas e ver como são feitos os queijos holandeses. Agora, deixo-vos algumas fotos da minha viagem, mas se quiserem podem ver o álbum completo aqui

 

PS: Se algum dia quiserem visitar Amesterdão tentem comprar as viagens com muita antecedência e levem roupa de inverno mesmo que seja verão porque nunca se sabe como vai estar o tempo.  

 

Amesterdao-2.JPG

Amesterdao-4.JPG

Amesterdao-5.JPG

Amesterdao-8.JPGAmesterdao-10.JPG

Amesterdao-13.JPG

Amesterdao-14.JPG

Amesterdao-16.JPG

Amesterdao-17.JPG

Amesterdao_nos-4.JPG

Vestido: Lucluc

Amesterdao-21.JPG

Amesterdao-22.JPG

Amesterdao-23.JPG

Amesterdao-24.JPG

Amesterdao-26.JPG

Amesterdao-27.JPG

Amesterdao-28.JPG

Amesterdao-31.JPG

Amesterdao-33.JPG

Amesterdao-35.JPG

Amesterdao-36.JPG

Galeria da Guarda Civil

Amesterdao-40.JPG

Amesterdao-43.JPG

Begijnhof

Amesterdao-44.JPG

Amesterdao-46.JPG

Amesterdao-47.JPG

Amesterdao-48.JPG

Amesterdao-49.JPG

Amesterdao-53.JPG

Amesterdao-54.JPG

Amesterdao-55.JPG

Amesterdao-56.JPG

Mercado das Flores

Amesterdao-57.JPG

Amesterdao-60.JPG

Amesterdao-62.JPG

Amesterdao-67.JPG

Amesterdao-68.JPG

Max Euwe Plein

Amesterdao-70.JPG

Amesterdao-71.JPG

Amesterdao-72.JPG

Amesterdao-74.JPG

Amesterdao-75.JPG

Museumplein

Amesterdao-80.JPG

Amesterdao-81.JPG

Amesterdao-82.JPG

Amesterdao-83.JPG

Amesterdao_nos-6.JPG

Amesterdao-84.JPG

Amesterdao-85.JPG

Amesterdao-88.JPG

Amesterdao-89.JPG

Amesterdao-90.JPG

Amesterdao-92.JPG

Amesterdao-93.JPG

Amesterdao-95.JPG

Amesterdao-103.JPG

Vodelpark

Amesterdao-106.JPG

Amesterdao-107.JPG

Amesterdao-110.JPG

Amesterdao-112.JPG

Amesterdao-113.JPG

 

Amesterdao_nos-11.JPG

 Óculos: Firmoo | Camisola: Romwe | Colar: SheInside

Graziela

Ser turista na minha cidade parte 16: Jardim Botânico d'Ajuda

_MG_7157aa.png

Fotos: Graziela Costa

 

No "Ser turista na minha cidade" desta semana apresento-vos o Jardim Botânico d'Ajuda. Um espaço que tive a oportunidade de visitar num shooting day do curso de Fotografia de Moda. 

 

Este jardim é conhecido por um dia ter feito parte dos jardins do Palácio Nacional da Ajuda (cujo post "Ser turista na minha cidade" podem ver aqui), pela sua beleza muito característica e pelos seus habitantes, os pavões, que se passeiam por toda a parte e com sorte deixam para trás uma pena, que vocês podem levar de recordação (mas, atenção nada de arrancarem penas aos pobres animais!).

 

No dia em visitei este local ia decorrer um casamento, pelo que todo o espaço estava bastante agitado, ainda assim este é o lugar ideal para um piquenique romântico. Até porque os banquinhos dispostos de forma artística por todo o jardim convidam a sentar e a assistir de camarote ao fantástico pôr do sol que dali se avista.  

 

Só tenho pena de não ter visto a parte da estufa, pois de certo devia ser fantástica, mas de certeza que um dia vou voltar, até porque o bilhete não é assim tão caro, 2 euros para adultos (as crianças não pagam) ou 1 euro para estudantes.

 

Já agora, o Jardim Botânico d'Ajuda está aberto todos os dias entre as 10h e as 20h (19h no horário de Inverno) e para lá chegarem o melhor é mesmo irem no eléctrico 18 ou nos autocarros 727, 729 ou 732.

 

Até lá vejam as minhas fotos e fascinem-se por este local!

 

PS: Podem ver outras visitas da série "Ser turista na minha cidade" aqui.

_SAM0524aa.png

_SAM0552aa.png

_SAM0526aa.png

_SAM0530aa.png

_SAM0531aa.png

_SAM0537aa.png

_SAM0536aa.png

_SAM0525aa.png

_SAM0541aa.png

_MG_8724aa.png

_SAM0540aa.png

_SAM0550aa.png

_MG_8763aa.png

Graziela

Ser turista na minha cidade parte 15: Koi Park

_SAM4047-11.JPG

Fotos: Graziela Costa

 

Tinha 10 anos quando vi pela primeira vez o "Romeu e Julieta", do Baz Luhrmann e naquela altura tal como 90% das miúdas venerava o Leonardo DiCaprio, assim quando assisti ao filme "bebi" toda a sua essência romântica, mas quando penso a minha cena favorita escolho sem dúvida o momento em que eles se "conhecem" através de um enorme aquário. Aquela imagem ficou para sempre fixada na minha cabeça e quando o meu namorado me contou que tinha tido um aquário enorme cheio de peixes fiquei logo numa de "imitar" o par mais romântico da história. O problema é que ele já não tem peixes, mas há uns tempos falou-me no Koi Park, em Almada. Uma loja de aquariofilia junto ao centro comercial Almada Fórum que ele costumava visitar. Depois de meses a chateá-lo para irmos conhecer aquele espaço lá o convenci e num destes domingos fomos ver peixes, centenas de peixes de várias espécies e cores que eu nem imaginava que existiam, mas que ele me explicou entusiasticamente. 

 

O Koi Park é composto por alguns viveiros e um palacete onde se realizam diversas atividades, no entanto eu só visitei a parte da estufa / loja, ainda assim adorei o espaço porque tem aquele ar bucólico das antigas estufas de vidro e como tem mesinhas no meio podemos estar ali a conversar e a comer um gelado (sim, eles não vendem só peixes eheheh). Para além disso podemos comprar bolinhas de ração e alimentar as carpas que se encontram nos diversos aquários. 

 

Para quem está perto e gosta de animais este é um passeio bem engraçado e a entrada é grátis.

 

Horários:

 

Verão :

Seg. – Sex.  : 14:00 – 21:00

Sab. – Dom. : 10:00 – 21:00

 

Inverno:

Seg. – Sex.  : 12:00 – 20:00

Sab. – Dom. : 10:00 – 20:00

 

Morada:

Quinta dos Espadeiros, Feijó
2810-434 Almada

 

_SAM4039-8.JPG

_SAM4044-10.JPG

_SAM4050-12.JPG

_SAM4052-13.JPG

_SAM4067-14.JPG

_SAM4080aa.jpg

Graziela

Ser turista na minha cidade parte 14: Oceanário de Lisboa

_MG_6839aa.png

Fotos: Graziela Costa

 

Ainda me lembro da primeira vez que fui ao Oceanário de Lisboa. Estávamos em plena Expo 98 e eu tinha acabado de fazer 11 anos, esta era a segunda vez que vinha a Lisboa e estava super ansiosa por ver aquela grande exposição da qual se falava há meses na televisão.

 

Uma das coisas que mais queria ver era mesmo o Ocenário, principalmente porque queria muito ver pinguins ao vivo. Como vinha através de uma visita de estudo obrigavam-nos a andar de mãos dadas, mas eu impaciente consegui escapar-me do resto da turma, e ao contrário dos meus colegas de escola lá os consegui ver, claro que depois a professora apanhou-me e levei uma bela bronca. Ainda assim, nunca me vou esquecer daquele momento.

 

Entretanto passaram-se mais de dez anos sobre a minha primeira visita a este espaço, e confesso que não voltei antes devido ao preço dos bilhetes, 14 euros custam a dar, no entanto percebo que para fazer a manutenção destes animais os custos são elevados. Recentemente, ganhei um bilhete e pensei "aqui está uma boa oportunidade de mostrar este espaço a quem lê o blogue", por isso reuni uma série de fotos para vos inspirar a descobrir o Oceanário de Lisboa e os fantásticos animais que lá habitam. Aliás, tenho a certeza que vão adorar visitar este espaço, principalmente se acompanhadas(os) pelas(os) namorados(as), pois este é um local super romântico. 

 

Podem vistar o Oceanário de Lisboa de segunda a domingo entre as 10h e as 20h (19h no Inverno), sendo que a entrada para adultos custa 14 euros (se comprarem online têm um desconto de 10% ou 15% se tiverem cartão Fnac), mas regularmente aparecem promoções em sites de descontos.

 

Transportes:

Metro / Comboio: Oriente

Autocarros: 5, 25, 28, 44, 708, 750, 759, 782, 794 

 

Vejam aqui os outros "Ser turista na minha cidade".

 

IMG_4571-1.jpg

IMG_4576-2.jpg

IMG_4584-3.jpg

IMG_4596-5.jpg

IMG_4609-6.jpg

IMG_4615-7.jpg

IMG_4640-12.jpg

IMG_4651-13.jpg

IMG_4677-15.jpg

IMG_4690-18.jpg

IMG_4696-19.jpg

IMG_4698-20.jpg

IMG_4715-21.jpg

IMG_4729-23.jpg

IMG_4734-25.jpg

IMG_4737-26.jpg

IMG_4750-27.jpg

IMG_4760-29.jpg

IMG_4781-30.jpg

IMG_4785-31.jpg

IMG_4794-32.jpg

IMG_4796-33.jpg

IMG_4804-34.jpg

IMG_4821-35.jpg

IMG_4824-36.jpg

Graziela

Ser turista na minha cidade parte 12: Jardim Zoológico de Lisboa

_SAM0470-1.jpg

Ir ao Jardim Zoológico (Lisboa) para mim é sempre uma animação. A primeira vez que lá fui tinha 6/7 anos e lembro-me de adorar cada segundo que lá passei. Depois só lá voltei aos 23, mas nos últimos três anos tenho ido pelo menos uma vez por ano e até gostava de ir mais vezes não fosse o preço do bilhete. Porém, entendo os 19 euros que cobram aos adultos até porque alguém tem de pagar a comida e a manutenção dos animais, não é verdade?

 

Recentemente fui ao Zoo com o meu namorado e a sua família e diverti-me imenso. Adorei andar de teleférico, ver as crias bebés, a alimentação das focas, dos leões marinhos, do pelicanos, a baía dos golfinhos e até fui ver o espectáculo dos répteis. Foi mesmo um dia em cheio tanto que decidi partilhar as minhas fotos convosco. 

 

Se nunca visitaram o Jardim Zoológico (Lisboa) aconselho-vos a fazê-lo porque é um local muito bom para irem com amigos, família e crianças, elas então deliram!

 

Já agora, para quem quiser visitar este local, aqui ficam algumas informações úteis:

 

Preços:

Crianças até aos 2 anos - grátis

Criança ( 3-11 anos) - 13,50€

Adulto - 19€

Sénior (+ 65 anos) - 15€ 

 

Existem também alguns descontos disponíveis, eu recomendo o do cartão Lacoste que é de 50% e o que eu uso sempre. Os outros podem ver aqui.

 

Horário:

10 - 20h (a partir de 21 de Março, até lá encerra às 18h)

Podem ainda consultar os horários das actividades que acontecem no Zoo aqui.

 

Transportes:

Comboio - Sete Rios

Metro - Jardim Zoológico (Linha Azul)

Autocarro: 701, 716, 726, 731, 746, 754, 755, 758, 768, 770

_SAM0474-1.jpg

Fotos: Graziela Costa

 

_SAM0480-2.jpg

_SAM0487-3.jpg

 

IMG_2365-26.jpg

IMG_2379-27.jpg

IMG_2386-28.jpg

IMG_2393-29.jpg

IMG_2400-30.jpg

IMG_2408-31.jpg

IMG_2475-33.jpg

IMG_2482-34.jpg

IMG_2486-35.jpg

IMG_2503-36.jpg

IMG_2513-37.jpg

 

_SAM0491-4.jpg

_SAM0496-5.jpg

IMG_2158-1.jpg

IMG_2159-2.jpg

IMG_2164-3.jpg

IMG_2179-4.jpg

IMG_2187-6.jpg

IMG_2195-7.jpg

IMG_2200-8.jpg

IMG_2218-10.jpg

IMG_2228-11.jpg

IMG_2253-13.jpg

IMG_2286-17.jpg

IMG_2289-18.jpg

IMG_2296-20.jpg

IMG_2308-21.jpg

Graziela

Ser turista na minha cidade parte 7: Museu Nacional do Teatro

Museu_Teatro-1553.jpg

 Fotos: Graziela Costa

 

No domingo passado foi dia de museus grátis, por isso esta semana trago-vos mais uma aventura. Desta vez, mostro-vos o Museu Nacional do Teatro, um local que queria conhecer há muito, até porque este ano fiz um curso de História do Teatro (aqueles cursos grátis do Corte Inglés, em Lisboa).

 

Museu Nacional do Teatro situa-se no Palácio Monteiro-Mor (Lumiar) e apresenta o mais importante espólio nacional ligado às artes do espectáculo. Nos dois pisos do museu podemos passar em revista toda a história do Teatro português, desde actrizes a espaços, tudo está representado. 

 

Como o que eu mais gosto no Teatro são mesmo os cenários, os adereços e as roupas, esta visita valeu mesmo a pena porque como podem ver pelas fotografias, este Museu tem coisas bem bonitas. 

 

Para aqueles que querem visitar o Museu Nacional do Teatro podem fazê-lo de terça a domingo entre as 10h e as 18h. No entanto, a entrada só é livre no primeiro domingo do mês ou se tiverem a declaração do centro de emprego. Os melhores transportes para chegarem lá são os autocarros 703 e 706 e o metro do Lumiar.

 

Já agora, se forem a este Museu aproveitem também para visitar o Parque Botânico Monteiro-Mor e o Museu Nacional do Traje, locais que vos irei mostrar num próximo post.

 

Podem ver outras visitas da série "Ser turista na minha cidade" aqui

Museu_Teatro-1556.jpg

Museu_Teatro-1569.jpg

Museu_Teatro-1570.jpg

Museu_Teatro-1573.jpg

Museu_Teatro-1575.jpg

Museu_Teatro-1576.jpg

Museu_Teatro-1580.jpg

Museu_Teatro-1582.jpg

Museu_Teatro-1587.jpg

Museu_Teatro-1588.jpg

Museu_Teatro-1591.jpg

Museu_Teatro-1594.jpg

 

Graziela

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.